O politicamente correto: o mal do século

Olá, pessoas cultas e sábias que acessam esse poço de sabedoria e conhecimento chamado Wikipédia Kelvylândia. Como estão? (vocês deveriam responder algum dia, eu realmente me importo com isso, seus putos).

O assunto que vou falar hoje, como já viram no título do post, é batido pacas atualmente, mas eu nunca demonstrei publicamente minha insatisfação com essa mania da sociedade atual onde tudo é preconceito e tudo é errado e nada pode ser feito (não queria que rimasse, merda)

Antes de tudo, vou deixar o meu, o seu, o nosso mestre Alborghetti dizer o que eu acho do politicamente correto

Ia usar o Robin falando “tá um puta puteiro do caralho”, mas não achei só essa parte do vídeo e nem fodendo que ia editar só pra postar aqui!

De uns tempos desses para cá, fortificou-se um movimento repleto de paunocuzisse chamado Politicamente Correto, não é um movimento organizado, claro, só que hoje em dia não é legal chamar alguém de gordo, fazer piada envolvendo negro ou nordestino, mesmo que o personagem ser negro ou nordestino não seja realmente importante para a piada, é preconceito, xingar seu amigo de viado Viado, bicha! Seu dois bichas! , é um ato de homofobia, entre MUITAS outras coisas. E isso tá estragando praticamente tudo que há de bom nesse mundo (menos o Kelvylândia. ❤ ), humor, xingamentos, zoeira básica (nada hardcore de bater no coleguinha, galera!), desenhos animados e chegou até a internet Smiley triste.

Um exemplo básico: lembram da porra louca que eram os episódios do Tom & Jerry ali dos anos 50 e 60? (não, amiguinho, não nasci nos anos 50, mas a porra desses episódios passavam sem censura até uns 5 anos atrás!) Então, lembra aquele em que o Tom com a ajuda do Jerry coloca três gatinhos encapetados em um mecanismo que fica rodando eles enquanto Jerry bate na bunda deles com algum objeto e Tom coloca asinhas de anjo neles? Então, hoje em dia não aparece esse final, por não ser politicamente correto.

Aliás, olha o episódio aqui

http://www.dailymotion.com/video/xcmbzo_tom-and-jerry-triplet-trouble-carto_shortfilms?start=17#.UT80TtabOzk

Assistam porque deu trabalho para achar e porque esse episódio é legal pacas. ABS, amigos.

 

Ou seja, retiraram a lição de moral do episódio que é “se você for um moleque encapetado que tenta matar as pessoas com estilingues, dinamites e fogo você vai acabar apanhando pra caralho”. Agora as crianças veem isso e vão achar que ser filho da puta não trás consequência alguma. Lógica nível ¯\_(ツ)_/¯. Existem vários outros episódios não só do Tom & Jerry como do Pica-Pau e outros desenhos animados da mesma época também que são todos retalhados para tirarem as cenas que fogem do politicamente correto.

Ensinando seu filho a ser uma vítima pelo resto da vida. Parabéns campeão!

Outra criação do politicamente correto é a palavra Bullying. Ok, não é uma palavra recente, mas começou a ser usada com bem mais frequência nos dias de hoje. Ok, chegar e dar um soco na cara do seu coleguinha indefeso é bullying, mas chamar o seu coleguinha de chupeta de baleia caramelizada, é o que toda criança faz. No meu tempo de moleque, quando você recebia um apelido na escola, você não ia pro canto chorar e dizer a papai e mamãe que você está triste e pensando em se matar porque seu coleguinha falou que seu cabelo parece uma tigela, você olhava bem pra ele e já mandava um apelido na lata. E sabe o que se aprendia com isso? Apanhou, revide.

Hoje em dia não, criança chama a outra de gorda (as crianças estão com pouca criatividade hoje em dia, uma pena) e a outra vai lá chorar e virar pouco sociável e pensar em se matar e todas as paradas e os pais compensam isso com presentinhos ao invés de falar pro filho “Ei, moleque, se alguém te chamar de gordo, xinga ele também. Revide, moleque, revide!”, o moleque aprendia que quem batesse nele levaria de volta e que o mundo é assim e seria uma história feliz.

Nego perdeu o controle dessa para de bullying, tudo, absolutamente qualquer merda, é motivo para ser chamado de bullying e para psicólogos dizerem que que a criança apelidada vai criar traumas e vai ser depressiva e o caralho a quatro. Aí os pais mudam a criança de escola, ou pedem para a diretoria mudar o coleguinha que implica com ele de turma. Mas sabe o que isso ensina a seu filho? Que quando ele tiver um problema ele deve fugir e não enfrentar. Parabéns, seu filho é uma vítima pelo resto da sua patética vida.

Aí o viadinho chega na venda pra comprar leite e… Não. Aí o heterossexual chega na venda pra comprar leite e…

Saudades do tempo em que um humorista podia fazer piadas usando palavras como “negão”, “gorda”, “viado”, “loira burra” e todos os clichês do humor mundial. Hoje em dia, tudo isso foi perdido, já que qualquer humorista tem que pisar em ovos a cada roteiro novo que escreve para um show, porque estamos no tempo em que você pode ser PROCESSADO por contar uma piada. Isso é tão ridículo quanto você processar, sei lá, um atacante de futebol por fazer um gol ou um pedreiro por construir uma casa. Não faz o menor sentido. O cara tá fazendo o trabalho dele, quem tá naquele show tem que saber que aquilo é tudo uma brincadeira e não ficar de mimimi porque o cara fez uma piada que eles julgam que não deveria ser feita, puta que pariu.

E o prêmio de paunocuzisse extrema vai para…

Cês tão ligados que esses dias aí, tava passando um comercial da Gilette que eu não vi, mas minha filha nº 1 viu e disse que é bom, que, segundo um bando de peludos desocupados, passava uma mensagem de preconceito contra os homens que não raspam os seus pelos corporais e o que foi que fizeram? Se contentaram em reclamar na internet? NÃO! ❤ Pediram para tirar o comercial do ar <3. Simples assim. Falaram que uma marca estava impondo um padrão de beleza e que aquilo era preconceito. Só não sei se tiraram o pau do cu enquanto falavam isso ou se falaram com ele lá mesmo. Na verdade é uma questão que eu nem quero que seja respondida, por favor.

E esse post vai terminar da maneira que começou, com algumas palavras do nosso mestre Alborghetti

Anúncios
    • BIG
    • 12 de março de 2013

    Sei lá, Kelvy… Concordo com a parte do humor… E concordo que o pessoal exagera nesse lance de politicamente correto, e que o que chama de bullying nem sempre é bullying.

    Eu mesmo sofri coisas na adolescência que hoje em dia seriam chamadas de “uber-bullying” e não sou traumatizado (eu acho).

    Mas aí eu vejo meu filho: epiléptico, com deficiência de aprendizagem, com certa dificuldade de desenvolvimento social, motor e intelectual… Sendo chamado de coisas e sofrendo violência. Não posso concordar que isso vai ser bom pra ele.

    É questão de ponto de vista.

    • Foi como eu disse. Tem a zoeira básica e a hardcore. A hardcore realmente é errada, tem umas coisas pesadas que eu, se fosse pai, realmente não ia querer para um filho meu, mas falo mais do que o pessoal exagera em relação a bullying.
      Porém eu entendo que seu ponto de vista é outro, poxa, você é pai, velho, é uma visão que eu talvez nunca tenha.

    • Concordo, a galera apela algumas vezes também…mas é pq ainda estamos tentando implementar a coisa toda, tentando achar o ponto certo entre a zoação e a humilhação…

      • Acredite, a própria criança sabe o que é zoação e humilhação. Eu, pelo menos, sabia quando estavam só zoando com a minha cara (quando me chamavam de “palito de hotel” por eu ser magro, o que nunca fez sentido.) ou quando alguém estava tentando humilhar (normalmente, por incrível que pareça, humilhação vem BEM mais de adulto do que crianças!)

  1. Cara, quando é com amigo ninguém encrespa velho. O problema é aquele, não sou amigo e o cara vem puxando amizade pra fazer piadinha. Dai fode nego, dai fode.
    Não há um movimento de “politicamente correto” meu, há pessoas lutando por causas sociais. Você sabia que meus pais passavam bastante tempo na escola explicando o porque enfiei uma tesoura na perna de um colega ou acertei a cadeira nas costas de outro? Porque eles tentaram me dar apelidos e eu não tinha nenhum motivo para ter apreço pela vida deles.
    Sabe os assassinos em massa? A maioria deles não conseguiam revidar ao buling…até perderem a cabeça de vez. Legitimar o buling é legitimar eles, pois é impossível prever ou evitar sem mexer no ponto do buling.

    Acho que você precisa ler este artigo: http://papodehomem.com.br/carta-aberta-aos-humoristas-do-brasil/ sobre a parte do humor.

    Agora, sobre as propagandas, ai já recomendo que você estude pedagogia que eu estou me reservando a meu direito a preguiça hoje.

    • Sabe os assassinos em massa? Então, todos eles bebiam água e se alimentavam, provavelmente, diariamente. Se você era um criança perturbado, well, não posso fazer nada sobre isso, posso? Eu sempre fui insultado na escola e sempre revidei sem precisar bater em ninguém (briguei uma ou duas vezes na escola, e nem era briga de verdade porque nunca rolava nem um murro). Você tá usando a teoria do “olha, se a criança for insultada, ela vai virar um assassino” é o mesmo que falar “olha, se você joga vídeo-game, vai virar assassino” ou “se você corre no parque a noite, vai virar estuprador”. E porque diabos eu deveria estudar pedagogia se eu estou falando de uma propagando para ADULTOS? Crianças não se preocupam com pelos corporais, até onde eu sei.
      E eu falei com amigos, porque já venho gente me chamar de homofóbico porque eu xingo muito meus amigos de viado e essas coisas.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: