Mini resenha– Left 4 Dead 2 (ou meu primeiro passo para fora da pirataria!)

Olá, pessoinhas que se deram ao trabalho de acessar essa periferia internética, essa que se chama Kelvylândia!

O post de hoje IA ser sobre O Hobbit, mas eu posso deixar minha opinião em algumas palavras e ela é: o filme é chato e não funcionou direito. Só. Caguei pro resto.

Então como notei que não valia a pena um post sobre isso, e isso aqui é um blog pessoal e eu posso postar coisas que sejam diretamente relacionadas ao meu dia-a-dia, eu vim aqui falar do meu primeiro joguinho original ( :3 ).

Então, lá tava eu de boa quando resolvo ir olhar o Steam e vejo a maravilhosa oferta de Left 4 Dead 2 por 8 reais, 8 malditos reais! Fui direto atrás de um amigo meu para ele comprar o jogo com o cartão dele e tal. Fiquei muito empolgado, porra, um jogo maravilhoso como Left 4 Dead 2 por oito reais não é algo que se deixa passar. Pena que nem todos pensem da mesma forma, já que fui falar da promoção para um amigo meu e ele e mandou um link com o download dos dois L4D. Ou seja, por causa de 16 reais (o 1 também tava 8 reais) você perde a melhor parte do L4D que é o multiplayer. Ok, quando é, sei lá, 99 reais, eu até entendo, eu atualmente não tenho condições de pagar 100 reais em um jogo, mas 8 reais quebra qualquer tipo de argumento seu para pirataria. “ah, mas e se a Steam quebrar, pra onde vão meus jogos?” Ok, isso pode acontecer, mas as chances são tão grandes um raio cair na minha cabeça nesse exato momento em que coloco esse ponto final, e, obviamente, isso não aconteceu, então…”ain, mas eu prefiro mídia física”, e por isso faz download? Sei que esse meu discurso pode ser bem hipócrita, já que tenho bastante jogos aqui no meu disco rígido, quase nunca jogos atuais, o mais atual que tenho é o Football Manager 2012, sendo que a maioria são jogos já antigos e ROMs de consoles como SNES, Megadrive ( ❤ ), GBA e PS1, mas ainda assim são jogos piratas. Ok, eu não tenho cartão de crédito e muito menos emprego para está gastando grana com jogos, sem falar que a maioria desses você nem encontra mais a venda, mas isso está mudando e eu não digo que você precisa limpar todo o seu computado do “pecado da pirataria” para poder parar de praticar. Mas quando a parada tá toda facilitada pra você e você ainda prefere piratear, é porque você quer, então admita e não crie desculpas.

Mas a questão aqui é Esquerda 4 Morrer 2 (meu inglês nórdico é todo maneiro!), e eu posso dizer, me arrependo de não ter comprado esse jogo antes, sério, mesmo por 36 reais que o peço normal, ele vale MUITO a pena. E não, não vale a pena baixar, porque você vai perder a melhor coisa do jogo que é o modo online da coisa, o offline é divertidíssimo, mas a sensação de jogar o multiplayer, com quatro pessoas completamente desconhecidas tendo que cooperar para sobreviver te faz imergi dentro do ambiente do jogo. E se você é do tipo “lobo solitário auto-suficiente”, esqueça esse jogo, não ajudar seus colegas de equipe é suicídio, ter uma pessoa a menos para atirar na horda de infectados faz toda a diferença quando você precisa completar a droga de um objetivo. O própria jogo aposta ao máximo nessa cooperação, pois tem coisas que você não pode fazer sozinho, de maneira alguma, como, por exemplo, seu “life” acaba e você fica incapacitado no chão, só poderá se levantar quando um companheiro vier te ajudar. Isso sem falar de várias outras ações que só podem ser feitas com ajuda. Que tal dar seu kit médico aquele cara que tá se fodendo ali e curar ele? Ou uma dose de adrenalina para ele ganhar um bônus temporário e aguentar mais? Vai ter momentos em que você vai precisar fazer isso e é melhor que faça mesmo.

A ação? O jogo tem ação o tempo inteiro. Você tá lá de boa passeando do shopping e quando você menos espera sai uma horda de infectados da próxima porta, sem falar os infectados especiais que são todos uns putos (principalmente o Tank e a Witch…Malditas witchs!) com suas habilidade extras só para te foderem lindamente. Então você nunca vai está em um território completamente “limpo” de infectados, NUNCA! E as armas tem para todos os gostos, e com uma quantidade de balas que não faz a coisa ser fácil, mas também não faz ser impossível. Desde tacos de golfe a AK47 você consegue encontrar nesse jogo, quer dar uma de Michonne com uma maldita espada katana? Aqui você encontra e digo logo que é divertido pra caralho decapitar os infectados com uma katana. “ain, mas eu prefiro ser algum tipo maluco com uma machado”, Kelvy” e, advinha só, você também pode =D

O efeitos sonoros são um caso a parte. Não aconselho jogar L4D2 ouvindo música ou podcast, sério, você precisa está com os ouvidos atentos para saber onde estão e quais são os infectados especiais que podem vir a te atacar. E os caras fazem uma puta sacada com a trilha sonora que te deixa dentro da matança, cara, é incrível. Ontem mesmo eu tava lá e liguei uma jukebox que por acaso tinha em um bar nos metemos, começou a tocar uma música incrível e veio uma hora de infectados na hora, a coisa casou e decapitar todos aqueles filhos da puta ficou tão divertido que quando acabou eu queria mais.

Os personagens são todos carismáticos e interessantes. Nick é um jogador trapaceiro e egoísta. Rochelle é uma repórter de uma TV local. Coach é um técnico de um time de futebol americano de um colégio e, por último, Ellis, um mecânico. Você vai tomando gosto pelos personagens e mais cedo ou mais tarde vai se identificar com um deles (eu mesmo só jogo com o Nick, realmente acho ele o mais carismático), e além disso você acaba começando a se importar com os outros ao longo de todo o jogo. O que é mais uma jogada para te deixar imerso no mundo do jogo. (acho que ficou feio, mas, né?)

Mas enfim, é isso, ficou uma merda de texto? Claro que sim. Mas não se pode esperar muito de alguém como eu, certo? Certo.

Anúncios
  1. Acho L4D um dos melhores jogos que existem

    • BIG
    • 20 de março de 2013

    Quero falar mais sobre o lance da pirataria, pois L4D é um jogo que nunca joguei, nunca tive a mínima vontade nem de olhar, e é improvável que eu o baixe até mesmo de graça, quanto mais pagando 8 exorbitantes reais:

    quem é verdadeiramente fã de alguma coisa, paga por ela. Claro, a não ser que eu fosse um multimilionário, seria impossível encontrar e comprar as fitas dos jogos de Mega e Snes que gosto. Mas tirando isso, eu pago por livros de RPG. Pago por cds de artistas que gosto de verdade (Gorillaz, Skank, Coldplay, Gabriel o Pensador, Los Hermanos, Legião Urbana… Todos originais aqui).

    Enfim… Junte um preço bacana à um fã, coloque acessibilidade, e você terá uma venda

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: